domingo, 29 de janeiro de 2012

Os Novos Titãs contra as drogas



Nos anos 70/80, o mundo presenciava as drogas matarem a juventude. Jovens viciados morriam a cada dia. Era preciso combater essa onda viciosa e, para isso, foram usados vários meios de comunicação, inclusive os quadrinhos. Tudo começou quando Marvel e DC desafiaram o Comic Code Authority (criado graças ao livro A Sedução do Inocente de Fredric Wertham). A Marvel com Homem Aranha e a DC, com Arqueiro Verde & Lanterna Verde - essas duas HQs mostram personagens que se tornaram viciados em drogas, Harry Osborn (Marvel) e Roy Harper, o Ricardito dos Novos Titãs.

Em 1983, o governo dos Estados Unidos, decidiu fazer uma campanha de conscientização, tendo como público alvo os jovens, para isso o governo pretendia usar personagens famosos de HQs, que eram Batman e Superman - os que estavam indisponíveis no momento, - , e foi quando a DC sugeriu os Novos Titãs, pois os heróis eram mais próximos da faixa etária a que se destinava a campanha e, além disso, era o título mais famoso e popular da DC na época.

Foram distribuídos às escolas kits com gibis dos Novos Titãs, que informavam os perigos do consumo de drogas. O material foi produzido pela DC com a fabricante de biscoito Keebler. Os personagens que formavam o grupo nas histórias eram: Protetor, Estelar, Ravena, Cyborg, Mutano, Moça Maravilha e Ricardito (que relata seu antigo vício).

Curiosamente, Robin não estava na formação, pois, seus direitos autorais pertenciam à rival da Keebler, Nabisco. Para seu lugar foi criado o Protetor (Jason Hart), mas isso acarretou um grande problema: parte do material já estava pronto com participação de Robin. Então, foi contratado Dave Manak para criar o substituto de Robin.
As histórias foram feitas por George Pérez e Marv Wolfma, mesma equipe criativa da bem-sucedida série dos Novos Titãs nos anos 1980.
Um comercial de 60 segundos também foi produzido pela Hanna-Barbera, seguido a duas versões de 20, e outra de 30 segundos.
Curiosidade: Protetor chegou a aparecer em Crise Infinita #5, durante o culto dos super-heróis e, em The Titans Secret Files and Origins #02 (Outubro de 2000), durante a festa de recrutamento para os Titãs L.A

5 comentários:

  1. Cara, que interessante! Dessa eu não sabia. Fiquei curioso pra analisar o discurso propriamente dito. Pois geralmente quase todo discurso anti-droga acaba caindo nos moralismos e clichês de sempre. Ainda mais nos anos 80 quando isso justamente surgiu. Tu tens o comercial?

    ResponderExcluir
  2. Não é o comercial, são apenas imagens dele e das revistas da campanha. Infelizmente, é muito díficil, quase ímpossivel, achá-lo

    ResponderExcluir
  3. Este é bem interessante. Reúne vários personagens Linck: http://www.youtube.com/watch?v=61d20SLasbk&feature=related

    ResponderExcluir

Maniacos por DC Comics, poste aqui sua opnião!