terça-feira, 19 de abril de 2011

Primordial Superboy

Na época em que infinitas Terras paralelas formavam o Multiverso da DC Comics, uma Terra em especial surgiu: a Terra Primordial. Esta Terra foi apresentada como a Terra "real", a realidade verdadeira, onde os leitores viviam e a DC Comics funcionava como uma editora e todos os super-heróis eram fictícios. Apareceu pela primeira vez em Flash #179, de 1968, onde Barry Allen, o Flash na época, viaja acidentalmente da Terra 1, para a Primordial. Nisso, Barry acabou encontrando o editor da DC Comics, Julius Schwartz, que o ajuda a construir uma esteira cósmica para voltar à Terra 1. Eventualmente, foi afirmado que os escritores da DC Comics da Terra Primordial, inconscientemente, baseavam as suas histórias sobre os heróis na Terra 1 e Terra 2.

A partir daí, a Terra paralela passou a ser usada constantemente. Em uma das constantes reuniões entre Liga da Justiça da América, da Terra 1, e Sociedade da Justiça da América, da Terra 2, as equipes encontram os escritores Carry Bates e Elliot S! Maggin, vindos da Terra Primordial.
Porém, a história da Terra Primordial desviou-se significativamente da história da “verdadeira” Terra com o advento de dois super-heróis nativos. O primeiro, Ultraa, um alienígena criado na Terra que após seu primeiro encontro com a Liga da Justiça, decidiu que sua Terra não estava pronta para super-heróis e se mudou para a Terra 1.

O segundo foi o Superboy Primordial. A contraparte “Primordial” do Superman surgiu em DC Comics Presents #87 (de Novembro de 1986), sendo criado por Elliot S! Maggin e Curt Swan, que se basearam no personagem original de Jerry Siegel e Joe Shuster. Na trama, Kal-El foi enviado as pressas de Krypton por seu pai biológico Jor-El, quando o Sol vermelho do planeta entrou em supernova. Na Terra, acabou sendo achado numa mata por Jerry e Naomi Kent, que se tornaram seus pais adotivos. Batizado de Clark Kent, nome de solteiro de Naomi, o bebê quase não ganhou esse nome, pois Jerry não queria o batizar o nome de um personagem de quadrinhos, o Superman, que como dito anteriormente, que assim como todos os heróis, era fictício na Terra Primordial. Nerd amante de quadrinhos, Clark era gamado por sua vizinha e melhor amiga Laurie.
Clark cresceu como um garoto típico sem poderes especiais. Mas, assim como seu “homônimo da ficção”, pensou em um dia se tornar repórter. Certa vez, brincando com seu próprio nome, foi a uma festa à fantasia como Superboy. A passagem do Cometa Halley naquela noite acabou manifestando os poderes do jovem, que se encontrou com o Superman da Terra 1, que havia parado na Terra Primordial.

Nisso, os efeitos da Crise nas Infinitas Terras afetaram todo o Multiverso, destruindo infinitas Terras paralelas. Infelizmente a Terra Primordial foi uma das vítimas. Jogado no meio de uma grande crise após ter perdido amigos, amor e família no ápice de sua vida, o desolado, mas corajoso jovem, recrutou a si mesmo no exército de heróis que estava prestes a enfrentar o Antimonitor na Aurora do Tempo, em Crisis on Infinite Earths #10. Numa entrevista a revista Wizard na comemoração dos 20 da saga, George Pérez declarou que eles (Marv Wolfman e ele) não tinham o que dizer a respeito de Superboy, que era outra “ponta solta” que necessitavam amarrar. Isso deu aos autores três personagens similares: dois Supermen e o Superboy, o que foi um desafio para Pérez, que precisava fazê-los parecer diferentes.

Após a batalha na Aurora do Tempo, a história do Universo foi alterada e todo o Multiverso foi apagado, o que jogou as chances de Primordial ver sua Terra de volta por água abaixo. Mesmo assim, o jovem herói seguiu de cabeça erguida e foi fundamental na luta decisiva contra o Antimonitor, ao lado de Superman da Terra 2 e Alex Luthor Jr da Terra 3. Ao final da saga, a ordem era simplificar o Universo do Superman, então, Wolfman e Pérez se mantiveram fieis ao espírito que a DC queria, mas permitiram que Superman da Terra 2, sua esposa Lois Lane, Alex Luthor e Superboy se retirassem de cena com uma verdadeira dignidade e triunfo. Um carinhoso adeus. A solução achada foi Alex ter os levado à uma outra dimensão. Superboy foi junto, já que depois de tanto se sacrificar, queria paz ou algo melhor que a morte.

Em 2005, foi lançada a minissérie Crise Infinita, considerada continuação direta de Crise nas Infinitas Terras. Na saga, foi revelado o destino dos quatro. Aprisionados em um “paraíso”, o quarteto agia como uma família, até que Lois adoeceu misteriosamente, o que isolou Superman de Primordial, o que acabou por desolar o jovem, já que o velho herói agia como um tutor e estimulante para que o garoto não tombasse diante tanta solidão. Os efeitos de ter perdido sua família, seu amor, seu Universo, para salvar um Universo composto de gente que ele conhecia apenas pelos quadrinhos que lia somados a frustação do destino não retribuir seu sacrifício e junto a isso a solidão do limbo, causaram efeitos devastadores na mente jovem de Primordial, que já enfraquecido emocionalmente, foi manipulado por Alex Luthor, seu “amigo”. Irado por ver que sacrifício deles foi em vão, já que o Universo cada vez mais se corrompia, Superboy passou a socar a barreira da realidade, o que alterou toda a realidade do UDC, modificando as origens de diversos personagens. A principio, uma coisa tosca, mas se pararmos para pensar, é uma analogia as tantas pessoas emocionalmente instáveis cujas conseqüências disso pode alterar tudo ao seu redor.

Ao conseguirem quebrar a barreira, Alex e Superboy passaram a influenciar eventos para favorecer seu plano de encontrar a Terra perfeita. Com tudo encaminhado, a dupla fez tudo pelas costa do Superman da Terra 2 e chegaram a Terra quando este rompeu a barreira em definitivo. Ao contatar Poderosa, Superboy se auto-intitulou Superboy Primordial pela primeira vez. Muito frustrado com o que sua vida se transformou, ele queria mostrar ao mundo o que ele podia fazer, porque ele mal teve a chance de ser Superboy. Primordial tinha inveja e raiva de Conner Kent, Syperboy. Inveja por ele ter uma vida que ele sempre sonhou em ter e raiva por ele dar as costas à essa vida no momento em que seus entes queridos mais precisavam dele. Coenscidência ou não, lembra muito o comportamento de muitos adolescentes por aí. Ao enfretar Conner, Primordial promoveu uma verdadeira chacina, assassinando diversos Titãs, perdendo todo seu controle e pouca estabilidade emocional que tinha. Perguntado como a batalha de Superboy Primordial com os Titãs ficou fora de controle tão rapidamente, o editor Dan Didio disse:
“Superboy é um adolescente criado em isolamento, com hormônios, grande peso em seu ombro e com os poderes de um deus. Ele nunca aprendeu como manter seus poderes ou emoções sob controle, então, quando confrontado, a situação esquentou e ele não tinha idéia de como parar. Pense em uma situação onde você, como um adolescente, perdeu a paciência. Agora imagine que você tem o poder de esmagar um planeta. Você acha que a situação teria terminado de forma diferente? Este é o momento em que o Superboy Primordial atravessa o ponto de não retornar e se tornar a maior ameaça que o universo já conheceu.”
Após ter sido humilhado pela Família Flash e ter adquirido uma estranha “fobia” de Flash, Primordial fugiu da prisão em que Kid Flash o colocou a tempo de presenciar a morte de Conner e finalmente percebeu que Alex o tinha tapeado e num ato totalmente sem noção e egoísta, Superboy pretendiar causar um novo Big Bang para ser o único herói do Universo. Primordial acabou sendo impedido pelos Supermen e a Tropa dos Lanternas Verdes, o que acabou custando a vida do Superman da Terra 2. Superboy acabou sendo aprisionado em Oa, onde mais uma vez isolado, se entregou a loucura "cravando" o símbolo do Superman em seu peito.
Libertado e recrutado pela Tropa Sinestro, Superboy finalmente pôde reencontrar os defensores da Terra e acabou finalmente se vingando da destruição de sua vida ao detonar o Antimonitor. Conseqüentemente, o jovem foi parar no novo Multiverso (que surgiu após Crise Infinita) graças ao sacrifício de um Guardião do Universo. Assim, se iniciava sua louca jornada em busca de sua Terra perfeita, destruindo Terras e matando inocentes. na jornada A loucura de Pirmordial tinha chegado ao extremo, assim como seus poderes, que foram “bombados” pelo sacrifício do Guardião. Por fim, após ser mais uma vez tapeado por alguém que buscava beneficio próprio, Superboy enfrentou o Monarca e esta batalha resultou na destruição do Universo da Terra 51, assim como a perda de seus músculos e aparência mais velha, que também foram resultados do sacrifício do Guardião de Oa.

Dado como mortos por muitos, foi revelado que Superboy foi resgatado do Fluxo do Tempo pelo Sr do Tempo, que o enviou para o século XXXI para ser usado como uma arma contra a Legião dos Super Heróis. Chegando lá, Superboy, jovem novamente, descobre que ele é considerado um fiasco, o que o irrita mais ainda, causando grande ira, já que, segundo sua distorcia “busca pelo bem”, todos os seus atos foram em vão. Irado, decide destruir todo o legado que Superman construiu no futuro, o que inclui a Legião. Uma ironia vindo de quem clamava que seria o Superman.

Recrutando diversos vilões da equipe, Primordial forma uma gigantesca Legião de Supervilões. No intuito de derrotá-lo, a Legião convoca Superman, outras duas Legiões de mundos alternativos e Sodam Yat. Este era o enredo da minissérie Final Crisis: Legion of Three Worlds. Na trama, Superman tentava a qualquer custo convencer Superboy que ele podia ser uma boa pessoa. Para tal, Superman dialogava com o jovem usando como argumentos Laurie e os pais do garoto, o que irritou mais ainda o jovem, que violento, destroçou a mão do Homem de Aço com sua visão de calor.

Ainda em desvantagem, a Legião ressuscitou os dois únicos seres que podem derrotar o jovem: Conner Kent e Kid Flash. A dupla de jovens heróis são os únicos capazes de causar grande temor na pertubada mente de Primordial. Durante a guerra, Senhor do Tempo seqüestrou os membros fundadores da Legião e revelou ser uma versão adulta do Superboy Primordial. Brainiac 5 ,então, decide promover um encontro entre as versões velha e jovem de Primordial. Como previsto por Brainiac 5, o Superboy Primordial, furioso com sua versão mais velha, já que clamava que não se tornaria algo daquele jeito, atacou si mesmo, causando um paradoxo que o enviou de volta a sua Terra Primordial.
Primeiramente feliz pelo retorno, Clark teve mais uma frustação pra sua grande coleção: ele passou a ser temido por seus pais e Laurie, que leram todas as ações dele pelas revistas em quadrinhos. Isolado em seu próprio "mundinho", Clark estava irado, mas ao mesmo tempo triste, já que finalmente conseguiu reencontrar o que queria, mas acabou se frustando da forma como encontrou. Durante a Noite Mais Densa, saga que vinha fazendo grande sucesso na DC, o editorial da editora resolveu envolver Clark. Assim, foi mostrado que o Lanterna Negro Alex Luthor Jr devolveu os poderes de Clark para poder atacá-lo junto as versões Lanternas Negras das vitimas de Primordial.
Histérico, Superboy atacou os responsáveis pela DC Comics, incluindo Dan Didio, culpando-os pelas tragédias que aconteceram em sua vida, já que foi eles que “escreveram” sua vida e que ele está cansado disso. Durante a batalha, Clark roubou e usou um dos anéis negros de seus adversários. Ao usá-lo, mimetizou os poderes das outras tropas para destruir seus inimigos. Em seguida, Superboy é recepcionado por Laurie, como Lanterna Negra. Não se sabe qual foi o destino do Superboy Primordial.
Odiado por uns e amado por outros, Superboy Primordial retornou. Durante uma batalha com os Novos Titãs, o jovem vilão Lunático abriu um buraco negro que acidentalmente transportou o Superboy Primordial de volta a Nova Terra. Enfurecido por ser separado de Laurie novamente, Primordial prometeu destruir os Titãs e encontrar uma maneira de voltar para casa. Em seguida, ele reúne um grupo de vilões: Lunatico, Zoomestre, Indigo, Inferno, Persuasora (Elise Kimble) e um novo Inércia, cada um contendo um rancor pessoal com um Titã específico. Primordial traz também três clones de Superboy (formado a partir de restos de Páreo), e os usa para ajudá-lo no ataque contra os Titãs. Superboy Primordial e sua Legião do Mal na tentativa de destruir a Torre Titã, são recebidos pelos Novos Titãs e um grande grupo de ex-Titãs. Depois de Primordial e sua equipe serem derrotados pelo poder combinado dos Titãs, Superboy e Supergirl prendem o vilão na Muralha da Fonte. Este acabou sendo o fim definitivo de Primordial.

3 comentários:

  1. Muito bom, Gus... Excelente... Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Putz!!! que história mais intrincada... Gustavo, você realmente me ajudou a compreender essa confusa história dos "superboys" que, me desculpe, eu não conseguia entender direito!

    ResponderExcluir

Maniacos por DC Comics, poste aqui sua opnião!