terça-feira, 19 de abril de 2011

Fichado: Antimonitor

O Fichado de hoje é com o meu vilão favorito:

Antimonitor
Dados:
Nome: Antimonitor
Outros nomes: Devorador de Universos, demônio, destruidor, Anti-Monitor
Criadores: Marv Wolfman, George Pérez, Jerry Ordway
Primeira Aparição: Crisis on Infinite Earths

Biografia
Bilhões de anos atrás, enquanto a Terra não passava de gases que se resfriavam, existia o planeta Oa. Os Oanos eram quase deuses e viveram em paz por mais anos que podem se lembrar. Além disso, eram dotados de poderes mentais, ciência e tecnologia jamais equiparadas. Porém, havia aqueles que usavam seus poderes em prol de desejos pervertidos. Ignorando todas as proibições e apelos, Krona decidiu buscar conhecer a origem do Universo. Ao atingir seu objetivo, uma terrível rajada cósmica esmigalhou sua maquina e que também teria destruído Krona, não fosse ele imortal. Não foi o fim do Universo como as lendas previam, mas, sim, o início de algo maligno: O universo se estilhaçou e o malévolo Universo de Antimatéria foi formado, e nele, duplicatas de todos os planetas, incluindo Oa, que ganhou como planeta gêmeo Qward.

Como pena por deflagrar um Universo maligno, Krona foi reduzido de energia disforme para circular, inofensivo ao Universo para sempre. Sentindo-se culpados por isso, os Oanos criaram a Tropa dos Lanternas Verdes.
Porém, além do Universo de Antimatéria, algo mais maligno surgiu. Na Lua de Qward, uma criatura, uma blasfema paródia da humanidade nasceu naquele Universo sombrio e maligno: O Antimonitor. Já na Lua de Oa, surgiu o Monitor.
O Antimonitor, banhado pelo mal daquele Universo de Antimatéria, tomou controle de Qward e criou um exército de guerreiros: os Trovejantes. E, da elite desses guerreiros, Antimonitor escolheu os mais perversos e os transformou nos Demônios das Sombras, sua guarda pessoal.

Mais tarde, Antimonitor sentiu a presença de seu alter ego positivo, o Monitor. Os dois iniciaram uma guerra que durou um milhão de anos, no qual não houve vencedor, até que um ataque simultâneo deixou ambos imóveis e inconscientes. E assim permaneceram por mais de bilhões anos, até que Pária, um homem de uma Terra alternativa (Após a Crise foi estabelecido que ele era de um mundo alienígena) repetiu o experimento de Krona. Mesmo inconsciente, Antimonitor se aproveitou do experimento de Pária e converteu a antimatéria em energia, concentrando-a no universo do cientista, destruindo mundos para adquirir mais energia, só então se livrou da prisão para disseminar seu domínio, já que a cada Universo de matéria morto, ele se tornava mais poderoso.

Com isso, lançou uma massiva onda de antimatéria, consumindo diversos Universos paralelos que constituíam o Multiverso, deixando-o mais poderoso. O Monitor, que também se libertou graças ao experimento de Pária, junto à sua protegida, Precursora, decidiu defender o Multiverso. Teve início assim, o evento conhecido como Crise nas Infinitas Terras. Durante a Crise, Antimonitor recrutou o Pirata Psíquico para amedrontar a população Multiversal.
No evento, Monitor recrutou diversos heróis a fim de derrotar o Antimonitor, porém acabou sendo assassinado por Precursora, quando esta estava sob influência do vilão. Com isso, Precursora, Alex Luthor Jr da Terra 3 e Pária tomaram a liderança da resistência, recrutando praticamente todos os heróis das Terras 1,2,4, S e X – as únicas que sobreviveram ao massacre, pois foram enviadas a uma espécie de Limbo. Numa ofensiva ao Antimonitor em Qward, Supergirl destruiu a armadura do vilão, mas com um alto preço: perdeu sua vida na batalha. Isso obrigou o vilão passou a usar uma nova couraça. Em seguida, Barry Allen, o Flash, se sacrificou para destruir o canhão de antimatéria do vilão.
Mais tarde, os heróis enfrentaram o Antimonitor da Aurora do Tempo, onde o vilão desejava mudar o curso da história. Assim, o Antimonitor queria usar sua mão para destruir o Multiverso de matéria quando Krona visse o surgimento do Universo. Felizmente, Espectro, com a energia de vários feiticeiros, sobrepujou o Antimonitor, o que causou uma grande explosão que reconstruiu todo o Universo.
Reunidos na Torre Titã, os heróis descobrem que a história do Universo foi alterada. Agora, só existia apenas um Universo. Todo o Mutiverso foi eliminado e a cronologia redefinida. Porém, o Antimonitor ressurgiu e levou a Terra para o Universo de Anti-Matéria. Lá, os heróis enfrentaram os Demônios das Sombras e durante esta batalha, Columba e Quartzo faleceram.

Ainda no Universo de Antimatéria, os super-heróis, reunindo suas forças, derrotaram o Antimonitor e levaram a Terra de volta ao seu Universo. Enquanto os supostos vencedores voltavam para o universo positivo por meio de um portal aberto por Alex, o gigantesco vilão levantou-se novamente. A batalha final foi travada apenas pelo Superman da Terra 2 e o Superboy da Terra Primordial. Enquanto isso, Darkseid, através dos olhos de Alex, atinge Antimonitor com um de seus raios ômega, que enfraquecido é arremessado numa estrela ainda incandescente. Porém, Antimonitor ressurgiu como uma esfera flamejante mortal, mas acaba sendo destruído definitivamente pelo Superman da Terra 2. O golpe o lançou de volta para o Sol, que implodiu com ele dentro. Então, Alex surpreendeu Superman ao revelar que ele havia salvo Lois Lane da Terra 2 e logo depois, levou todos para uma outra dimensão.

Como resultado dos acontecimentos que aconteceram durante a Crise causada pelo vilão, diversos personagens morreram: Os Perdedores, Homem Imortal, Quartzo, Columba, Aquagirl, Mestre dos Espelhos I, Insecto, Robin da Terra 2 e muitos outros, incluindo todos do Multiverso.

Anos mais tarde, Alex e Superboy Primordial decidiram criar a Terra perfeita. Para tal, a dupla fugiu da dimensão em que ficaram presos por meios de socos do Superboy Primordial, que acabou alterando a realidade no processo. Na Terra, Alex Luthor Jr, disfarçado de Lex Luthor, capturou as pessoas ideais para abastecer seu Garfo Dimensional, uma torre que usava os restos mortais do Antimonitor achados por Primordial. Alex usou o garfo para recriar todo o Multiverso e "peneirar" todas as Terras até criar uma "perfeita". Conner Kent sacrificou sua vida para destruir o garfo dimensional, o que criou a Nova Terra e um novo Multiverso de 52 Terras.

Com o renascimento do Multiverso, o Antimonitor também ressurgiu, se tornando guardião da Tropa Sinestro, recebendo a lealdade e subserviência de Sinestro, Parallax, Superboy Primordial (que planeja destruir o gigantesco vilão após a vitória de sua Tropa) e Superciborgue.
Durante o conflito entre tropas, um grupo dos chamados "Lanternas Verdes Perdidos" avançou em Qward busca da entidade Íon e a encontraram aprisionada numa câmara gigantesca pelo Antimonitor, que se encontrava parasitando suas energias. Só então é revelada sua existência aos demais Lanternas em Qward, que batem em retirada apressadamente com destino a Oa

No planejamento à invasão à Terra, o satélite do Mundo Bélico teleporta o Antimonitor no ponto estratégico entre Nova York e Manhathan. Nisso, passou a transformar as energias da Terra (Pedra fundamental do Multiverso) e dos mundos paralelos que nascem dele, criando uma muralha de antimatéria que devastaria toda a superfície terrestre. O vilão acabada sendo parcialmente destruído pela explosão do Mundo Bélico, lançado pelos Lanternas Verdes contra ele, o que também destruiu o Superciborgue no processo. Enquanto enfrentava os heróis da Terra e a Tropa dos Lanternas Verdes em Nova York, Superboy Primordial ouve o Antimonitor clamando sua vitória mesmo com sua armadura destruída. O garoto então se vinga da destruição de sua Terra ao jogar o que restou do Antimonitor nos confins do espaço.

Caindo em Ryut, o que restou dele foi aprisionado por Nekron numa Bateria Central Negra servindo de fonte de energia para a mesma. Em seguida, Nekron, junto a Mão Negra e Cicatriz, lançou o ataque da Tropa dos Lanternas Negros.

Quando a Bateria Central Negra já estava em Coast City, um Lanterna Negro Antimonitor confrontou as diversas Tropas de Lanternas. Felizmente, o vilão foi destruído com um tiro na cabeça, cuja bala que o acertou foi Columba, disparada pelo Lanterna Amarelo Bedovian e energizada pelos membros das diversas Tropas. Com isso, o corpo do Antimonitor voltou para dentro da Bateria Negra.
Após Hal Jordan e a Tropa dos Lanternas Brancos ressuscitarem Mão Negra, elo de Nekron com o mundo dos vivos, Mão Negra vomitou um anel branco que ressuscitou o Antimonitor. Este confrontou Nekron, que o enviou ao Universo de Antimatéria, onde foi confrontando, posteriormente a derrota de Nekron, pelo Lanterna Branco Desafiador.

Posteriormente, Antimonitor impediu Deathstorm, a versão Lanterna Negra do Nuclear, de destruir a Bateria Energética Branca e o ordenou a trazer a Bateria e um exército para ele. Com isso, Deathstorm traz de volta as versões Lanternas Negras de Professor Zoom , Maxwell Lord, Jade, Gavião Negro, Capitão Bumerangue, Caçador de Marte, Aquaman, Rapina, Mulher-Gavião, Desafiador e Osíris.
Deathstorm eventualmente trouxe a Bateria Branca para Antimonitor. Em seguida, o monstruoso vilão tentou acessar o poder da Bateria, tendo seus esforços impedidos por Nuclear, que depois de engajar uma batalha com o Antimonitor e os Lanternas Negros, foi capaz de recuperar a Bateria Branca do vilão.

Com o Antimonitor vivo novamente, o novo Multiverso deve se preparar para um possível futuro ataque arquitetado por ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Maniacos por DC Comics, poste aqui sua opnião!