quarta-feira, 18 de maio de 2011

Especial Sociedade da Justiça da América - Parte I: As Eras de Ouro, Prata e Bronze

A Sociedade da Justiça da América foi o primeiro grupo de super-heróis da história. O grupo foi criado por Sheldon Mayer e Gardner Fox. A Sociedade surgiu da fusão da All-American Publication e Detective Comics, que apesar de coligadas, a rigor, eram empresas independentes. O grupo apareceu pela primeira vez no inverno de 1940, na revista All-Star Comics #3. O sucesso foi tão grande que a equipe continua na ativa até os dias de hoje. Confira a seguir no novo especial do Antimonitor HQs os momentos mais importantes da equipe:
A primeira história da SJA foi publicada na revista All-Star Comics #3 (1940), que mostra um jantar em que cada membro relata suas aventuras. Só depois disso começaram as aventuras da equipe a deter sabotadores e espiões infiltrados nos Estados Unidos da América. Curiosamente, a origem do grupo foi mostrada apenas na HQ The Untold Origin of Justice Society, escrita por Paul Levitz e publicada em 1977 na revista DC Special #29. Esta origem continua sendo considerada oficial até os dias de hoje, mas após Crise nas Infinitas Terras, a participação de Batman e Superman foi apagada desta aventura.
A SJA era formada por Flash (Jay Garrick), Lanterna Verde (Alan Scott), Gavião Negro, Átomo, Senhor Destino, Espectro, Sandman, Johnny Trovoada, Homem-Hora, Superman e Batman – esses dois últimos considerados membros honorários. A proposta editorial do grupo era mostrar aventuras de heróis que haviam aparecido em outros títulos, mas não tinham suas próprias revistas e por esta razão, no inicio, havia uma regra de que o grupo comportaria apenas membros que não possuíssem títulos próprios. Quem tivesse, ou viesse a ter, uma revista própria passaria a condição de honorário. Porém, logo essa regra foi abolida.Nos anos 1940, década conhecida como Era de Ouro dos Quadrinhos, a Sociedade da Justiça fazia muito sucesso, porém, passou por aquele vaivém de integrantes comum aos supergrupos. Alguns deixaram a equipe definitivamente para dar lugar a novos membros como Starman, Pantera, Doutor Meia-Noite, Sr Incrível e Canário Negro. Além disso, a equipe contou com convidados especiais como a primeira Tornado Vermelho. Esta mudança também possibilitou o retorno de Flash e Lanterna Verde à ativa no grupo.
Surgida em All-Star Comics #8 (1941), a heroína Mulher Maravilha ingressou na equipe em 1942 e por possuir revista própria, passou a aparecer nas histórias da Sociedade como secretária da equipe. As aventuras da equipe eram ambientadas na Segunda Guerra Mundial, que assolava o mundo na época, e publicadas na revista All-Star Comics.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, os leitores perderam o interesse pelas aventuras dos super-heróis e o gênero entrou em decadência. As aventuras da Sociedade da Justiça terminaram abruptamente na edição de número 57 de All-Star Comics (1951) já que a revista mudou de nome para All-Star Western Comics, passando a publicar quadrinhos de faroeste, sucesso na época. Da mesma forma que aconteceu com sua origem, o fim da SJA só foi explicado muito tempo depois em 1979, na revista Adventure Comics #466, escrita por Paul Levitz também. A história The Defeat of Justice Society se passava em 1951 e mostrou que a SJA foi obrigada a apresentar-se ao Comitê de Atividades Anti-Americanas do Senado para revelarem suas identidades secretas. Ao se recusarem, partiram para a aposentadoria.

O Grupo que nasceu e pereceu junto a Era de Ouro, passaria 12 anos no ostracismo.

Era de Prata: O Retorno
A Era de Prata dos gibis se iniciou na década de 1960 com o surgimento de Barry Allen, o segundo Flash e outras versões reformuladas e modernas de heróis da Era de Ouro. Além de Flash (Barry Allen), surgiram outras e diversas novas versões de heróis dos anos 1940, alguns inclusive membros da Sociedade da Justiça: Lanterna Verde (Hal Jordan), Ekektron (Atom no original, assim como o Átomo da Era de Ouro), Mulher Maravilha, Batman, Aquaman, Superman, Gavião Negro e, além disso, de novos personagens, como o Caçador de Marte. Os principais heróis da Era de Prata se reuniam como a Liga da Justiça da América.

Com o passar do tempo, alguns fãs mais velhos e outros novatos, indagavam-se pelo o aconteceu com os heróis da Era de Ouro, inclusive a Sociedade da Justiça. Assim, em The Flash # 123, na clássica história Flash of Two Worlds, Jay Garrick encontrou-se com Barry Allen. Para explicar a reunião, foi revelado a existência de um Universo paralelo, a Terra 2, que abrigava todos os heróis da Era de Ouro, incluindo a Sociedade.

Já em Flash #137, os dois Flashes se unem para libertar Gavião Negro, Mulher Maravilha, Lanterna Verde, Átomo, Doutor Meia-Noite e Johnny Trovoada do vilão imortal Vandal Savage. Ao fim da aventura, a Sociedade da Justiça, que estava aposentada na Terra 2, decidem passar a se reunir novamente. Esta foi a deixa para o primeiro encontro entre SJA e LJA.
Assim, na antológica Justice League of América # 21 de 1963, as duas equipes uniram forças para derrotar um grupo de vilões que descobriu como vencer a barreira que separa a Terra 1 (a Terra habitada pelos heróis da Era de Prata) e a Terra 2. Estes encontros passaram a acontecer anualmente e duraram até 1985. Nestas reuniões, além de os demais personagens da Era de Ouro, foram mostradas novas Terras paralelas, que enriqueceriam mais ainda o Multiverso infinito da DC Comics.

A Era de Bronze

Com a aceitação dos novos leitores, a Sociedade recuperou sua própria revista em 1976, na edição 58 de All-Star Comics, pois a DC optou por retomar a numeração da revista que abrigou a SJA do que lançar um novo título. A equipe, com fôlego renovado, vivia aventuras na décade de 70 na Terra 2 e recebeu novos membros: Robin, Sideral, Poderosa (prima do Superman desta realidade) e Caçadora (nesta realidade filha de Batman e Mulher-Gato). Além destes, o Superman e Mulher Maravilha da Terra 2 tornaram-se membros efetivos. Mesmo vivendo uma fase espetacular, a equipe não sobreviveu à chamada “Implosão DC”, uma polemica decisão editorial que cancelou diversos títulos de uma só vez. foi interrompida na edição 74, em 1978, e as aventuras do grupo migraram para a revista Adventure Comics, mas esta situação durou apenas algumas edições já que um famoso roteirista planejava algo grandioso para a equipe.Depois de 15 anos trabalhando na Marvel, o lendário escritor Roy Thomas foi para DC e por se grande adorador da Era de Outro, assumiu a responsabilidade de cuidar da Sociedade da Justiça, mostrando aventuras da equipe ambientadas na Segunda Guerra Mundial. Assim, em 1981, nasceu o Comando Invencível (All-Star Squadron), formado pela soma da Sociedade com praticamente todos os heróis da Era de Ouro da DC (contando os que foram adquiridos pela editora pelos anos). O grupo foi formado pelo presidente americano Franklin Roosevelt logo após o ataque a Pearl Harbor.Roy Thomas aproveitou a revista All-Star Squadron – que durou 67 edições, até 1987 – para retomar antigos conceitos como a o fato de a equipe ter sido rebatizada como Batalhão da Justiça nos anos 1940 e também corrigiu diversos problemas de cronologia, chegando a explicar a aparência jovem dos membros da SJA e por quê a equipe não acabou com a guerra rapidamente.Além disso, Roy também criou a Corporação Infinito, uma analogia os Novos Titãs (da Terra 1) formada pelos herdeiros da Sociedade da Justiça, que foram recusados ao tentarem ingressar a equipe: Nuklon (afilhado de Átomo), Escaravelho de Prata (filho do Gavião Negro e Mulher Gavião), Fúria (filha da Mulher Maravilha da Terra 2 com Steve Trevor), Jade, Manto Negro (filhos do Lanterna Verde) e Bóreas (afilhado do Gavião Negro), que ganharam como companheiros Sideral, Poderosa, Onda Mental Jr e Caçadora. Vale ressaltar, que as aventuras do Comando Invencível, SJA e Corporação Infinito, nesta época, se passavam na Terra 2.

Porém, uma crise abalaria toda a estrutura não só da Sociedade da Justiça e seus aliados, e sim de todo o Multiverso DC.

CONTINUA NA PARTE 2

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Maniacos por DC Comics, poste aqui sua opnião!