terça-feira, 16 de agosto de 2011

S de Superboy - Parte I

A existência de diversas versões de Superboy acabaram ocasionando problemas a cronologia do Homem de Aço e do Universo DC. Assim como fiz no artigo S de Supergirl, abordarei algumas das versões mais importantes do Superboy. Confiram:

Superboy – As aventuras do Superman quando ele era um rapaz

Pré-Crise nas Infinitas Terras: A idéia de criar aventuras do Superman quando era rapaz surgiu em novembro de 1938, quando um dos criadores do Homem de Aço, Jerry Siegel – desta vez sem o parceiro Joe Shuster – propôs a DC uma HQ do herói quando jovem. A editora rejeitou o conceito, mas Siegel não desistiu: dois anos depois, apresentou um projeto mais detalhado, porém, foi rejeitado novamente. A DC apenas mudou de idéia no final de 1944, como o sucesso de Robin e outros sidekicks. Assim, Superboy (sem a participação ou aprovação de Siegel, que estava atuando na Segunda Guerra Mundial), estreou no gibi More Fun Comics # 101 (1944, com data de capa do ano de 1945), como arte de Shuster. Este fato aumentou uma rixa já crescente entre a editora, Siegel e Shuster, o que anos mais tardes culminaria no famoso processo por direitos autorais.Superboy nada mais era do que uma versão adolescente do Homem de Aço. A diferença mais significativa, além da época em que se passavam as aventuras (obviamente, no passado do herói), foi o cenário: saía de cena Metrópolis e entrava a interiorana Smallville, uma cidade rural no Kansas. O jovem Clark era apaixonado por Lana Lang, que desconfiava que ele era o Rapaz de Aço. Além disso, o rapaz tinha como grande amigo Peter Ross, único que sabia seu segredo, guardando para si. A partir de 1946, as aventuras do Garoto de Aço foram transferidas para a revista Adventure Comics, onde fez mais sucesso ainda. Três anos depois, Superboy ganhou uma revista própria, que devido a seu grande sucesso, estendeu-se por anos.

As histórias do Superboy fizeram muito sucesso desde seu inicio. A maioria delas mostrava o rapaz aprendendo a lidar com seus poderes enquanto muitas outras envolviam eventos estranhos e personagens intrigantes (como os superanimais Krypto, Beppo e outros), mas nenhuma delas causou tanto impacto quando a introdução da Legião dos Super-Heróis, em Adventures Comics #247, publicada em 1958. A Legião era uma equipe do século 30 formada por jovens superpoderosos vindos dos mais variados pontos do Universo que se reuniaram inspirados pelos feitos heróicos do Superboy e patrocinados pelo filantropo R.J Brande, tornando-se protetores dos Planetas Unidos. Na história, os membros fundadores da equipe, Cósmico, Relâmpago e Satúrnia voltavam no tempo até a juventude do herói em Smallville para recrutá-los para a equipe no futuro. A Legião tornou-se um grande sucesso, passando a participar de diversas aventuras ao lado de Superboy, chegando a ganhar um título próprio.

Apesar do sucesso de Superboy e seus coadjuvantes, suas histórias criavam diversos problemas cronológicos a cronologia do Superman. Além disso, a criação do Multiverso composto de infinitas Terras também implicava não apenas na cronologia do Homem de Aço, mas como de toda a DC. Numa decisão editorial, a DC decidiu reformular toda sua cronologia e assim decretando que Superman fosse o único sobrevivente de Krypton. Para tal, foi publicada a maxi-série Crise nas Infinitas Terras no aniversário de 50 anos da editora. A saga resolveu este e outros impasses cronológicos criados com o surgimento do Multiverso e afins.

Como resultado da grande Crise, a origem do Superman foi reformulada, e nessa nova e revisada origem, os poderes de Kal-El apenas se manifestaram aos poucos e ele nunca se tornou Superboy, o que criou um abismo na história da Legião (tal assunto será tratado mais adiante neste mesmo artigo). Encerrava-se assim uma era.

Pós-Crise Infinita/Origem Secreta: Publicada em 2005, Crise Infinita reformulou uma vez mais a cronologia do Universo DC, restabelecendo novamente o Multiverso, desta vez composto de 52 Terras. Além disso, alguns problemas cronológicos causados por Crise nas Infinitas Terras e Zero Hora, foi corrigidos, como no caso de Superboy. Uma vez mais, a origem do Homem de Aço foi alterada e desta vez, ele tornara-se Superboy quando ainda era um rapaz em Smallville, o que resolveu os problemas cronológicos da origem da Legião dos Super-Heróis. Na minissérie Origem Secreta (2009-2010), que tratou de mostrar a nova origem do Ultimo Filho de Krypton, foi estabelecido que perto do início da adolescência, os poderes de Clark começaram a se manifestar devido ao Sol amarelo que clareava a Terra. Seus pais apenas revelaram a Clark sua verdadeira origem depois que ele manifestou visão de calor após ser beijado por sua amiga Lana.Nesse período, Clark conheceu Lex Luthor e a Kryptonita, que estava sendo portada por Lex. Depois de voar para salvar Lana, Clark decidiu usar seus poderes para salvar os fracos e oprimidos. Com isso, sua mãe usou os cobertores que vieram junto com Kal e o símbolo da casa dos El (a família de Kal) para confeccionar um uniforme. Usando-o, Kent passou a atuar em Smallville, como Superboy. Neste período ele encontrou Krypto, o cão de sua família, e foi recrutado pela Legião dos Super-Heróis, com quem passou a viver diversas aventuras no futuro. Vale ressaltar que Superboy e Krypto eram considerados lendas urbanas na cidade.

Superboy do Universo Compacto

Após Crise nas Infinitas Terras, as aventuras de Superman quando este era Superboy foram apagadas. Isso criou um abismo na história da Legião dos Super-Heróis. Como explicar que quem inspirou o surgimento da equipe nunca existiu? A solução encontrada foi dizer que o Superboy que inspirou a Legião era criação de seu inimigo, o Senhor do Tempo. O vilão criou um universo alternativo, o Universo Compacto para confundir e destruir Superman e a Legião. Toda vez que viajavam para o passado no encontro de Superboy, os membros da Legião eram transportados para o Universo Compacto.No final, após um desentendimento entre Superman, Superboy Compacto e a Legião, o Garoto de Aço do Universo Compacto revoltou-se contra seu criador e sacrificou sua vida pelo grupo e por seu mundo. Essa história acabou não sendo recebia muito bem pelos fãs, já que causou mais confusões do que respondeu dúvidas. O Universo Compacto foi usado também para explicar o surgimento de Supergirl (Matriz) e Zod e seus capangas.

Superboy (Kon-el/Conner Kent)

Quando Superman foi assassinado brutalmente por Apocalypse em 1992 na revista Superman #75, era óbvio, por mais chocante que fosse sua morte, o herói retornaria. Com isso, surgiu um impasse entre a equipe criativa: como trazer o Homem de Aço de volta a vida? Surgiram quatro idéias, que foram postas em pratica, cada uma representada por um personagem: Superciborgue, Aço, Erradicador e o novíssimo Superboy. Fazendo sua primeira aparição em Adventures of Superman #500, o jovem herói, criado por Karl Kesel e Tom Grummett, era na verdade um clone de Superman. O clone, que na época ainda detestava ser chamado de Superboy, fugiu e combateu com outros três aspirantes a Superman o posto de substituto de Superman, porém Superboy tinha ao seu lado a impressa e as garotas. Apenas com o povo o chamando de Superboy, o clone adotou esse nome para ele. Vaidoso com sua jaqueta de couro e seu visual, o rapaz era bad boy, descolado, tarado e visava apenas a fama, características que foram se amenizando após atuar ao lado do ressuscitado Homem de Aço e Aço contra o Superciborgue, na verdade um vilão.Mesmo nomeado Superboy e análogo à sua contraparte kryptoniana em diversos aspectos, o jovem herói possuía um poder que não compartilhava com Superman: telecinésia táctil, que lhe permite gerar ondas explosivas através de tudo o que toca. Também possuía velocidade, força, poder de vôo e invulnerabilidade (limitada).O sucesso desse novo Superboy foi tão grande que ele ganhou seu próprio título, onde em suas aventuras no Havaí ao lado de Tana, Krypto e Dubbilex , era mostrados mais detalhes de seu passado. Uma das mais chocantes revelações foi a de que ele clone de Paul Westfield, diretor do Projeto Cadmus. Mais tarde, Superboy encontrou Robin (Tim Drake) e Impulso durante um caso envolvendo a misteriosa garota chamada Segredo e com eles formou a Justiça Jovem.

Depois, o garoto adotou o nome kryptoniano de Kon-El e ainda presenciou a morte de sua namorada Tana, o que o abalou muito. O antes garoto que representava a adolescência dos anos 90, que era extrovertido, mulherengo e vaidoso, tornou-se um rapaz um pouco mais maduro, chegando a abandonar sua jaqueta. Após presenciar o sofrimento da guerra na saga Mundos em Guerra, o jovem herói continuou ao lado da Justiça Jovem até o fim desta, após a morte de Donna Troy durante uma reunião da jovem equipe com os Titãs.

Aconselhado por Superman, Kon-El adotou a identidade de Conner Kent e foi morar com os pais adotivos de Superman em Smallville, não se sentindo bem na zona rural, tornando-se mais sério e solitário. Convidado por Cyborg para integrar a nova formação dos Novos Titãs, Conner reencontrou antigos amigos da Justiça Jovem como Robin, com quem iniciou uma grande amizade, Impulso (que depois se tornou Kid Flash) e Cassie Sandmark, a Moça Maravilha, com quem teve um duradouro romance.
Em seguida, Conner ficou devastado quando descobriu que metade de que apesar de ser um clone de Superman, metade de seu DNA vinha de Lex Luthor (50 % Superman, 50 % Lex Luthor). Porém, logo depois Conner, influenciado por Luthor (que considerava Conner seu filho) atacou o grupo e machucou seriamente seus amigos, incluindo sua namorada. Com a ajuda dos Renegados, os Titãs conseguiram libertá-lo da sua contraparte má. Contudo, tal fato magoou demais Conner, que deixou o grupo e se isolou em Smallville com Martha, Jonathan Kent e Krypto. Não se sabia que tal fato deixaria até um clone com uma cicatriz na alma, tal alma que descobriu com ajuda de Ravena.Conner decidiu abandonar a carreira de super-herói, porém quando foi atacado por Superboy Primordial na Crise Infinita, teve a ajuda de seus companheiros. Entretanto, feriu-se gravemente. Seus fiéis amigos foram em busca de uma cura e quando curado, Conner finalmente teve uma noite de amor com sua namorada. Ao lado de Asa Noturna, Conner atacou a base de Alex Luthor Jr e Superboy Primordial, responsáveis pela Crise Infinita, onde se juntaram a Moça Maravilha. Como resultado do confronto, Superboy sacrificou-se para destruir o garfo vibracional de Alexander Luthor.

A morte de Superboy talvez tenha sido resultado de um processo ganho pela esposa e filha de Shuster que lhe deram os diretos sobre Superboy em 2004.Porém, em 2009, durante Crise Final foi publicada a minissérie Legião de Três Mundos, onde três Legiões de Super-Heróis de realidades alternativas enfrentavam a Legião dos Super-Vilões liderada pelo Superboy Primordial. Durante a minissérie, ocorreram os retornos de Bart Allen (que havia morrido após Crise Infinita) e de Superboy, o que parece ser resultado de um acordo entre a DC e os herdeiros de Shuster e Siegel.Na trama, a explicação para a ressurreição de Conner foi que Brainiac 5 planejou trazer a única pessoa que poderia derrotar o insano adolescente, e este era Conner. Viajando 1000 anos ao passado, a Legião dos Super-Heróis fez com que o corpo de Conner fosse colocado na mesma câmara de regeneração Kryptoniana que trouxe o Superman de volta à vida. E também utilizando um fio de cabelo de Lex Luthor, Conner Kent foi restaurado à vida no século XXXI para ajudar Superman e a Legião dos Super-Heróis a derrotar o Superboy Primordial. De volta a vida, Conner retornou ao Século XXI onde retomou sua carreira herói em Smallville ao lado de Martha Kent, Krypto e novos coadjuvantes como Simon Valentine e Lori Luthor. O jovem herói também retornou aos Novos Titãs e ganhou uma vez mais um título próprio, além de reassumir de vez seu relacionamento amoroso com Cassie, a Moça Maravilha.

Continua na segunda parte com Superboy Primordial, DC Relaunch e outras mídias...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Maniacos por DC Comics, poste aqui sua opnião!