sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Especial Liga da Justiça da América - Parte VII: Tempos Brilhantes e Sombrios

Após uma passagem de sucesso pela Liga da Justiça, Grant Morrison deixou o título na edição de número 41. Sua vaga foi preenchida por Mark Waid, que assumiu a equipe em JLA #43.
Entretanto, em ordem cronológica, sua primeira história com a equipe foi, junto ao artista Brian Hitch, a graphic novel LJA: Escada Para o Céu, que cronologicamente se passa antes de Torre de Babel. Na trama, pela primeira vez desde o Big Bang, uma raça alienígena, com poderes divinos precisa cruzar a última fronteira, a morte. Procurando descobrir a chave para os mistérios do além-vida, eles deslocaram mundos inteiros de suas órbitas inclusive o planeta Terra. A fim de recolher os seus “agentes adormecidos”. Em essência, os alienígenas procuram construir sua própria vida após a morte. Eles acabam sendo confrontados por uma facção de fanáticos que procuram sabotar seus esforços. Então, a Liga da Justiça da América recolhe os “adormecidos”, repelem os fanáticos e restauram os mundos.
Waid (com Howard Potter) nos apresentou o famoso arco Torre de Babel, em que é revelado que Batman vem montando protocolos secretos com maneiras para derrotar toda a LJA caso ela saia do controle. Estes arquivos acabam sendo roubados por Tália Al Ghul, que os entrega ao seu pai, Ra's Al Ghul. Com isso, Ra’s facilmente derrota toda a Liga. Felizmente, Batman lidera a recuperada e desconfiada Liga a vitória sobre o vilão. Entretanto, logo em seguida, a equipe decide votar em decidirem se mantêm ou não Batman na equipe. O Cavaleiro das Trevas acaba deixando a Liga.
Logo depois, a Liga da Justiça enfrenta a Rainha das Fábulas. Nesta batalha que se estendeu por três edições, a equipe recebe a ajuda de Batman para derrotar a vilã e devolvê-la ao livro. Felizmente, em JLA #50, o herói de Gotham City retorna a Liga. Na trama, uma fraturada Liga da Justiça derrota o Dr. Destino na dimensão dos sonhos. Depois disso, Superman inicia uma reunião histórica com Batman. Batman, então, concorda em voltar para a Liga e, para recuperar a confiança dos outros membros, ambos concordam em revelar suas identidades secretas para os outros. O resto dos Justiceiros seguem o exemplo. Logo em seguida, a equipe tem que lidar com os Cathexis, seres vindos da Sexta Dimensão. Neste período, a Torre de Vigilância é totalmente remodelada.
Liga também enfrenta os Marcianos Brancos, que se libertam de sua hipnose que os faziam passarem por seres humanos. Posteriormente, Superman, a Liga da Justiça e o resto do Universo têm que enfrentar Imperiex e suas sondas na saga Mundos em Guerra. O Destruidor de Galáxias, como é conhecido o vilão, pretendia destruir nosso Universo, onde ele detectou falhas e reconstruí-lo, para tal, teria que destruir a Terra, o planeta que mantém o Universo junto, já que nosso planeta foi o centro da Crise nas Infinitas Terras. Uma coalizão é formada entre Terra, Apokolips e a Aliança Alienígena. Numa tentativa de rechaçar as sondas ainda no espaço, a LJA é derrotada e humilhada, com seus membros seriamente feridos.
Durante a saga, em Atlântida, Aquaman deu tudo de si para derrotar uma sonda. Aquaman conseguiu derrotar a sonda, mas aparentemente deu sua vida para isso, já que a derrota da sonda resultou em uma explosão, que deixou uma fenda gigantesca no oceano e fez Atlântida desaparecer. Na verdade, tudo isso foi parte de um plano de contingência mágico, onde Tempest transportou Atlântida para 3.000 anos no passado. Isso acabou criando a gigantesca trincheira no Oceano Atlântico (A trincheira, na verdade, escondia as ruínas da antiga Atlântida. A viagem no tempo alterou a história). Ao fim da saga, foi revelado que Brainiac 13 era o grande vilão. Felizmente, ele e Imperiex foram derrotados. Como homenagem a Aquaman e aos Atlantes, um gigantesco monumento holográfico do herói é erguido na trincheira.
Em seguida, a Liga participa da saga Coringa: A Ultima Risada, onde Coringa infecta a maioria dos vilões na Terra com seu veneno. Após a resolução deste impasse, vem o Natal. Homem-Borracha passa o feriado na casa dos familiares de seu parceiro Woozy e acaba contando a um garoto da família a história de quando Papai Noel se tornou membro da Liga da Justiça (o que, claro, nunca aconteceu).
Nisto, Joe Kelley e Doug Mahnke assumem JLA e logo colocam a Liga de frente contra Abra Kadabra, Rana Khan e apresentam Luke Ernie McDunnagh, filho do Homem-Borracha com Angel. Luke possui os mesmos poderes de seu pai, mas com uma diferença: ele é capaz de mudar de cor.
A Liga da Justiça e a Sociedade da Justiça da América também se encontram e após serem manipulados, se juntam para derrotar Despero e Johnny Sorrow, que se uniram.
Kelley e Doug então nos mostram seu arco mais famoso: A Era Obsidiana. A Liga descobre que Aquaman não morreu, ele na verdade pediu a Tempest que ele enviasse Atlântida para 3.000 anos no passado, na Era de Ouro de Atlântida. O que Aquaman não sabia era que naquela época a cidade havia emergido e estava dominada pela poderosa feiticeira Gamemnae. Ao chegarem no passado, os habitantes de Atlântida foram escravizados e Aquaman teve sua consciência presa em uma piscina e foi transformado em um espectro aquático. Liga da Justiça voltou no tempo para resgatar Aquaman e Atlântida e acabou sendo assassinada pelos Ancestrais. Graças a um plano de emergência de Batman, caso tudo desse errado no passado, uma nova Liga é formada no presente: Asa Noturna, Arqueiro Verde, Eléktron, Devota, Jason Blood, Major Desastre, Mulher Gavião e Nuclear. Esta equipe acaba enfrentando Gamemnae, ainda viva no presente. Nisso, é revelado que no passado Corvo Manitu, membro dos Ancestrais que tinha suas dúvidas sobre Gamemnae, se aliou ao Lanterna Verde para acabar com sua tirania e salvar a vida da LJA. Corvo então usou o coração de Kyle Rayner como um sacrifício para alimentar um feitiço que preservava as almas da Liga, morta pelos Ancestrais. Ele também lançou um feitiço de contenção em torno de Atlântida, prendendo dentro Gamemnae. No presente, a nova Liga encontra as almas de Kyle e Corvo e assim viajam de volta para a antiga Atlântida e quebram o feitiço. A LJA, Aquaman e Gamemnae são todos libertados. Aquaman em seguida, fez a fatídica decisão de afundar Atlântida novamente.
Neste ínterim, a Liga original passa a lutar no presente graças a magia que fez seus corpos voltarem como “zumbis”. A Liga original acaba sendo ressuscitada pela própria Gememnae, que fez isso para poder atacar seus corpos zumbis. Com o esforço conjunto das duas Ligas, Corvo e Aquaman, Gememanae é derrotada, enquanto Atlântida e Aquaman voltam ao normal. Superman, como líder da equipe, expandiu a equipe central, introduzindo diversos membros “estagiários” que provaram seu valor nos momentos de crise. Entre esses novos membros estão o Major Desastre, o Xamã ancestral Corvo Manitu, Devota e o Lanterna Verde John Stewart, que tomou o lugar de Kyle Rayner na equipe. O que ninguém lembrava é que Homem-Borracha foi esquecido no passado e vivo. Ele levou três mil anos para se remontar e ser resgatado pela Liga. De volta, o herói decidiu abandonar a carreira heróica para passar mais tempo com seu filho Luke. Caçador de Marte também deixou o grupo. A equipe não pôde parar para descanso e logo enfrentou Kanjar Ro e o Eixo América.
Logo depois a Liga teve que lidar com Fernus, o Incandescente, que na verdade é o Caçador de Marte. J'onn – cujo relacionamento com Chama rompeu os antigos bloqueios genéticos colocados pelos Guardiões do Universo nos Marcianos pré-históricos selvagens - sucumbe à sua natureza pré-histórica marciana selvagem. Como Fernus, ele ataca a Liga e taca o terror em todo o mundo, detonando uma ogiva nuclear numa cidade da Coréia do Sul, cujos habitantes foram todos salvos pelo Flash antes da explosão. Apenas com a ajuda do Homem-Borracha, (que “apagou” toda sua carreira super-heróica de sua mente para poder viver com seu filho Luke, mas graças ao esforço de Batman e do próprio Luke, voltou à ativa) a Liga consegue contra-atacar. Homem-Borracha era imune a telepatia de Fernus e era o único que podia moldar seu corpo para lutar de igual para igual com ele. Os membros da Liga com a ajuda de Corvo Manitu adentram a mente do marciano e o ajuda. Então, Chama sacrifica-se para consumir a chama de Fernus e assim permite que J'onn se liberte. J'onn destrói a forma física de Fernus e emerge com alguma invulnerabilidade ao fogo. Ele acabou continuando vulnerável às formas psíquicas de fogo, incluindo o amor.
Neste período a Liga da Justiça se encontra com os Vingadores e juntos, numa aventura que altera todo o espaço-tempo dos dois Universos, possibilitando a reunião de todos que já foram membros de ambas as equipes, derrotam Krona. (Mais informações sobre este crossover AQUI)
A Liga acaba se desentendo com a Elite em JLA #100 (Doug e Joe deixam o título aqui). Isso acabou resultando na criação da Liga da Justiça Elite, criada com o intuito de operar secretamente em missões de espionagem e ataque que não seriam aceitáveis à Liga da Justiça, incapaz de "sujar suas mãos". A LJE foi criada pela união dos membros da segunda encarnação da Elite - com a única exceção sendo Chapéu - com membros da LJA que se identificaram a postura pró-ativa de Vera Black (Madre Superiora, irmã do antigo líder da Elite, Manchester Black). O grupo consistia de Vera Black (que via a Liga como um meio de se redimir pelas ações de seu irmão) Fusão a Frio, Zoológica; Corvo Manitu, Arqueiro Verde, Flash, a esposa de Manitu, Aurora; Major Desastre; Kasumi (aparentemente uma mercenária com mais de dois mil assassinatos realizados, mas, na verdade, uma identidade forjada por Batman para que Cassandra Cain, Batgirl na época, se infiltrasse na equipe); e Naif al-Sheikh, árabe especialista em espionagem.
Como resultado das ações de Krona em LJA/Vingadores, surgiu o Ovo Cósmico e todos os Universos que Krona havia destruído foram reconstruídos, com algumas mudanças. O Universo de Antimatéria foi totalmente alterado, incluindo seus principais habitantes, o Sindicato do Crime da América. Estas alterações possibilitaram o SCA confrontar a Liga de igual para igual no nosso mundo. O que leva a Liga a se envolver com Armeiros de Qward, o SCA, Construto, Liga da Justiça Elite e Sociedade da Justiça. Em seguida, a LJE foi dissolvida e Manitu morre. Logo a desconfiaça e paranóia tomariam conta da equipe...
A desconfiança que tomou conta de toda a equipe começou quando Sue Dibny, esposa de Ralph Dibny, o Homem-Elástico, foi assassinada em Crise de Identidade. Enquanto todos os heróis se perguntam que vilão seria o responsável pelo crime, o segredo mais negro da Liga da Justiça vem à tona: durante a fase do Satélite, o vilão Doutor Luz invadiu a sede da equipe enquanto todos estavam em missão. Sue, a única no satélite na ocasião, acabou sendo estuprada pelo vilão. De volta ao satélite, Barry Allen, Eléktron, Arqueiro Verde, Hal Jordan, Canário Negro, Zatanna e Homem-Elástico presenciaram a cena e logo resgataram Sue e derrotaram o vilão. Enquanto Ralph levava Sue ao hospital, os heróis acabaram tomando uma atitude radical por meio de uma votação: Zatanna lobotomizou o antes genial Luz com um encanto que o fez esquecer o ocorrido e o transforma num imbecil. A partir daí, este grupo, sem o conhecimento da Liga passa a limpar a mente dos vilãos que descobrissem suas identidades secretas e pudessem ameaçar suas famílias. Entre os que tiveram suas memórias manipuladas estão o Mago, Cronos, Mulher-Gato, Florônico, Safira-Estrela, Flash Reverso, Arrasa-Quarteirão, Pião, Flautista, Trapaceiro, Felix Fausto e outros. Mas a maior revelação é a que Batman passou pelo mesmo processo de limpeza dos vilões ao presencia a lobotomização de Luz.
Por fim, foi descoberto que foi Jean Loring, ex-esposa do Eléktron, que assassinou Sue e arquitetou outros diversos ataques a familiares dos super-heróis num plano doentio de se reaproximar de seu ex-marido.
A partir daí, fica instaurado um clima de paranóia, desconfiança e acusações. É revelado que Batman desenvolveu um satélite comandado por inteligência artificial, o Irmão-Olho, para vigiar e coletar dados de todos os heróis e vilões da Terra. Mas o satélite acabou sendo roubado por Maxwell Lord, antigo aliado da Liga e agora o líder do Xeque-Mate. De posse desses dados, Max inicia seu plano de torna o mundo seguro para os humanos. Para tanto, ele tem a seu dispor os OMACs, um exército de robôs de combate, escondidos como uma espécie de vírus eletrônico dentro do corpo de pessoas. Ele começa a mexer os pauzinhos e logo de cara, Ted Kord, o Besouro Azul II, que descobriu todos os seus planos, é assassinado por Lord, pois recusou se a aliar a ele. Além dos OMACs, Max revela ter controle completo do Superman, graças a anos de pequenas manipulações mentais à distancia contra o Kryptoniano. Com seu plano acionado, a Terra se transforma em um campo de batalha com inúmeras mortes. Para livrar Superman do controle mental, a Mulher Maravilha mata Maxwell brutalmente, fato este que é transmitido para as TVs de todo o mundo, destruindo a confiança da população na Amazona. Num esforço em conjunto de Batman e outros diversos heróis, parte dos OMACs são derrotados.
No arco Crise de Consciência, a Liga tem que lidar com as conseqüências das diversas revelações, paranóia, desconfiança e acusações. A Sociedade Secreta, um grupo de vilões que teve a memória apagada pela Liga, reaparece com a mente restaurada graças a Despero. E Batman, que descobriu que teve sua mente apagada, com a confiança na Liga abalada, enfrenta a equipe. Apesar de tudo, a Liga consegue derrotar a Sociedade e Despero. Entretanto, o resultado é devastador. Com Batman paranóico e obcecado em resolver o problema com o Irmão-Olho que ainda está ativo, a Mulher Maravilha hostilizada pelos próprios companheiros e Superman atônito com os acontecimentos, a Liga se desfaz. Enquanto tentava reagrupar a equipe, Caçador de Marte é atacado por Superboy Primordial, que o rapta e destrói a Torre. Era o fim da Liga.
Por fim, um grupo de ex-integrantes se reúne para um ritual que marca o fim da Liga da Justiça. Mas os traumas dos últimos acontecimentos ainda perturbam o clima. Enquanto antigos membros da Liga tentam se reorganizar, descobrem que nem todos os heróis estão dispostos a se filiar a um grupo. Arqueiro Verde, Canário Negro, Lanterna Verde (John Stewart), Flash, Aquaman e Aurora Manitu acabam sendo o que restou da Liga da Justiça da América. Junto com a Supergirl e o Tornado Vermelho, eles enfrentam os OMACS enquanto investigam assassinatos provocados pelo telepata Chave. Neste momento, Supergirl e Tornado são recrutados por Donna Troy para enfrentarem o perigo que está por vir no espaço. Enquanto isso, John Stewart sai para ajudar Hal Jordan e o Aquaman volta para a Atlântida. Os únicos remanescentes, Arqueiro Verde e Canário Negro, vão procurar Aurora Manitu, que foi seqüestrada pelo telepata Chave. Batman acaba ajudando o que restou da equipe a derrotar Chave. Isto marcava definitivamente o fim da Liga da Justiça.
Superman, Batman e Mulher Maravilha acabam discutindo no que sobrou no satélite, enquanto isso, a Crise Infinita começa. Um dos fatores que providenciaram parte do “sucesso” do plano de Alexander Luthor Jr da Terra 3 e Superboy Primordial foi o fim da LJA e desarmonia que existia entre os heróis na época. Apesar disso, os heróis, com a ajuda do Superman da Terra 2, conseguiram dar a volta por cima e salvaram todo o Universo. Como conseqüências da saga tivemos: a recriação do Multiverso (agora apenas com 52 Terras), as mortes de Superman e Lois Lane da Terra 2, a perda temporária de Superman de seus poderes e o restabelecimento da amizade da Trindade (Superman, Batman, Mulher Maravilha), que se ausentaram por um ano, devido a diferentes motivos.
Durante este ano, mostrado na saga 52, Nuclear formou uma nova LJA formada por: Águia Flamejante, Super-Chefe, Projétil e Besouro Bisonho. Eles batalharam um enlouquecido Skeets que matou Super-Chefe e inúmeras pessoas. Depois disso, Nuclear acabou com a equipe.

O ano posterior a Crise Infinita chegou o fim, era hora de uma nova Liga da Justiça da América surgir...

4 comentários:

  1. É um tanto irônico ver o Max matando o Besouro. Falo porque recentemente reli o arco dos "Superamiguinhos" que saiu em JLA Classified (no Brasil, em DC Especial) e justamente o último quadro do arco mostra Kord e Lord rindo juntos....

    ResponderExcluir
  2. Realmente, é muito estranho Spider. Eu li o arco dos "Superamiguinhos" e Liga Internacional primeiro, me acostumei com a amizade entre todos os membros, incluindo o Max. Foi muito irônico ver Max matando Besouro e se tornando um vilão, mesmo que ele venha sendo bem desenvolvido em Geração Perdida e tenha desde sua criação uma pinta de vilanismo. Na minha opinião a DC destruiu a Liga Internacional, só agora com Geração Perdida e o Reboot começou a tratá-la da forma como deveria

    ResponderExcluir
  3. é o pesoal achou esquisito o Besouro ter sido morto pelo Max!!eu não gostei da morte do Besouro!!mas as coisas mudam e tem que evoluirem pra um outro caminho,mesmo que seja cheio de reformulações e mortes estranhas como as que a DC faz!!Marcos Punch.

    ResponderExcluir
  4. O mal da DC Comics é esse: matar e ressuscitar seus heróis, ou transformá-los em vilões, vejam os exemplos Lanterna Verde (Hal Jordan), Flash (Barry Allen), Robin II (Jason Todd), Superman e até o Batman, morreram e milagrosamente voltaram à vida; isso acaba com toda a graça de um personagem.

    ResponderExcluir

Maniacos por DC Comics, poste aqui sua opnião!