domingo, 27 de fevereiro de 2011

Especial Crossovers DC: Batman, Coringa & O Máskara

Batman, Coringa e O Máskara (Joker/Mask no original) foi um crossover entre Dark Horse Comics e DC Comics publicado originalmente em uma mini-série de 4 partes no ano 2000. O divertido crossover que mostrou o Coringa usando a máscara do Máskara teve argumento feito por Henry Gilroy e Ronnie del Carmen, roteiro por Henry Gilroy e desenhado por Ramon F. Bachs e foi arte-finalizado por Howard M. Shum e colorizado por Dave McCaig.

No Brasil, a história foi publicada na edição especial Batman Coringa & O Máskara pela Editora Abril em Janeiro de 2001.

Curiosidade: Máskara também teve crossovers com: Bandoleiro (dos WildC.A.T.S), Lobo e Marshal Law.

A Trama

A história começa com o Coringa, sua parceira e namorada Arlequina e Snucky, um dos diversos comparsas do vilão, invadindo o museu de arte de Gotham City com o objetivo de explodirem o lugar para destruírem as máscaras de palhaços tristes e horríveis e encherem as cabeças das crianças no local com arte, ou estilhaços, na mente doentia do Coringa. Mas o plano vai por água abaixo quando Coringa descobre que Arlequina tirou os detonadores das bombas. Enquanto o Coringa se lamentava, Snucky roubava a misteriosa e mágica máscara do Máskara, o que faz o alarme anti-roubo do museu se ativar. Rapidamente a polícia chega ao local, onde um irado Coringa acaba colocando a máscara no rosto de Snucky, que instantaneamente se transforma no Máskara.
Ao presenciar os poderes que a máscara oferece, Coringa mata Snucky e toma o artefato para si. Nisso, Batman chega e Pudinzinho, apelido do Coringa dado por Arlequina, usa a máscara para se transformar numa mescla de Coringa e Máskara (com direito ao terno amarelo e tudo), que facilmente derrota o Cavaleiro das Trevas. Em seguida, Coringa e Arlequina se envolvem numa perseguição ao Batman, que acabou com o carro do herói afundando na baía de Gotham.

Mais tarde, Coringa passa a cometer diversos crimes usando a máscara e passou a ser chamado erroneamente de Máskara pela imprensa. Enquanto isso, no QG da Polícia de Gotham, Comissário Gordon traz a ajuda do tenente Kellaway, de Edge City, que tem bastante experiência com o Máskara. Concomitantemente, Coringa se apresenta ao Comissário, Harvey Bullock e Kellaway como Batman, puxando a cueca de Bullock e afirmando que o verdadeiro Batman está morto. Após ter sua piada ignorada e ter sido atacado, o vilão fugiu. Enquanto isso, Batman, vivo, mas com diversas contusões múltiplas em coma, se recupera na Batcaverna sendo observado por Alfred.

Após perceber que todos pensavam que ele era o Máskara, Coringa decide mostrar para toda a população por meio da TV que ele é o Coringa, ou melhor, o novo Coringa. Em seguida, o Príncipe Palhaço do Crime tomou controle da emissora de Gotham e passou a apresentar suas comédias brilhantes, ou seja, atentados, pela TV, sendo filmado por Arlequina. Enquanto cometia mais um dos diversos ataques, o vilão foi pego numa isca arquitetada pelo Comissário Gordon, um caminhão que dizia: “O Máskara é demais! O Coringa é ridículo!”. Ao persegui-lo, acaba sendo cercado pela SWAT, realizando assim seu sonho de ser perseguido pela guarda nacional, que é facilmente derrotada pelo vilão. Enquanto se vangloriava pela bagunça que causou, Kellaway aconselha Coringa a entregar a máscara antes que ela o destruísse, mas acabou sendo ignorado. Concomitantemente, Batman acorda na Batcaverna e descobre tudo o que o Coringa fez.

Após seu programa ter se tornado um sucesso e adquirido por todas as afiliados do canal do país, o Coringa apresenta suas duas novas assistentes: Cutuca e Belisca, as Coringuetes. Deixada mais de lado pelo seu Pudinzinho, Arlequina pede ajuda a sua amiga Hera Venenosa para tirar a máscara de Coringa. Durante uma de suas apresentações em seu programa, o Coringa é surpreendido por Arlequina e Hera, que borrifa um tônico herbal no vilão, que com isso passa a ficar sob controle da dupla. O Príncipe Palhaço do Crime, então, passa a ser usado pelas duas como ecoterrorista. Nesse momento, Batman decide voltar à ação para acabar de vez com essa loucura.

Depois da dupla ser enfrentada pelo tenente Kellaway, Hera é persuadida pelo tenente no objetivo de fazer com que ordenasse o Coringa a tirar a máscara. Ao fazer isso, Coringa revela que sem a máscara não é mais controlado e passa a usá-la de novo. Prestes a matar Arlequina, o Coringa original, por meio de um espelho, passa a confrontar o novo Coringa (que usa a máscara) e o último acaba silenciando o velho Sr. C.

Em seguida, já sob os efeitos colaterais psicológicos e enlouquecedores da máscara, o já insano Coringa decide explodir Hera Venenosa, Arlequina e a apresentadora Jéssica Platinum junto ao resto de Gotham com “Bob”, uma ogiva nuclear de 50 megatons da Força Aérea Americana. Mais uma vez confrontado por Arlequina, que diz que o velho Sr. C não faria isso, o Coringa/Máskara mostra que pode ir mais longe, podendo ser quem ele quiser e demonstrando isso se transforma em: Coringa II (parodiando Matrix); Coringa Clássico (parodiando os filmes de gangsters); Coringa 2001 (parodiando o Exterminador do Futuro) e no Coringa do Futuro (parodiando o Batman do Futuro).

Nesse exato momento, Batman reaparece, usando seu planador, e captura Coringa que acaba caindo ao bater num prédio. Caindo, Coringa usa a máscara para se transformar no Super-Coringa. Dessa forma, passa a enfrentar Batman novamente, mas durante o embate, Batman alega que o vilão não era mais engraçado por si próprio, mas sim por causa da máscara que o estava controlando e com isso, o Coringa original, que estava submerso esperando o Coringa/Máskara pisar na bola para poder aparecer, surge e passa a confrontar o novo Coringa, dizendo que ele esta arruinando sua reputação.

Após alguns diálogos, o verdadeiro Coringa consegue arrancar a máscara e volta ao normal, para a felicidade de Arlequina. O vilão acaba sendo surrado por Batman. Após ser impedido de recuperar a máscara pela polícia, Coringa aperta o botão que ativaria a ogiva, que não explode graças a Kellaway, que a desconectou. Com isso, Coringa e Arlquina são presos. Batman, então, entrega a máscara a Kellaway e Bullock se vinga puxando a cueca de Coringa.

Mais tarde, no cemitério da rua principal em Edge City, Kellaway coloca a máscara dentro do caixão de Stanley Ipkiss, o Máskara original.

7 comentários:

  1. Super legal! Alguém sabe onde possa achar esse gibi?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://hqonline.com.br/?page_id=23183 entre outras

      Excluir
  2. Gabriel, você pode achá-la em sebos "físicos" ou virtuais, como a Rika Comic Shop ou a Estante Virtual. Ou se quiser, baixá-la em foruns de Scans ;)

    ResponderExcluir
  3. Ahh, mas bom mesmo seria o Staley Ipkis usar a MASCARA. AFINAL, ELE É O VERDADEIRO MÁSCARA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem verdadeiro , nem tampouco o único . Foi 1 dos usuários dela , basta lembrar que o VERDADEIRO DONO DELA é o deus LOKI ; até o tenente Kellaway já usou uma vez nas h'qs .

      Excluir
    2. Staley morreu 😰😰😞 talves ele podia se ressusitar com a máscara

      Excluir

Maniacos por DC Comics, poste aqui sua opnião!