domingo, 20 de novembro de 2011

Especial Liga da Justiça da América - Parte IV: A Liga Internacional

Em 1987, com o cancelamento da Liga Detroit – devido as baixas vendas – era a hora de uma nova Liga da Justiça. Como visto na saga Lendas, publicada na esteira de Crise nas Infinitas Terras, Darkseid, numa tentativa desacreditar todos os super-heróis da Terra, fazendo o planeta mais vulnerável a uma invasão posterior sua, enviou a Terra enviou um servo dele, o Glorioso Godfrey, que tinha a habilidade de cativar suas vítimas com sua voz. Disfarçado como G. Gordon Godfrey, ele elaborou uma extensa campanha publicitária contra os superseres, afirmando que eles só traziam maus exemplos, que incentivavam a violência, que a população não deveria confiar sua segurança a mascarados, e que os supervilões não existiriam se não fossem os heróis. A população então se revoltou contra a comunidade heróica. Nesse ínterim, Darkseid também fez diversos pequenos planos, a fim de atingir a vida pessoal dos heróis.
Em seguida, Darkseid apresentou ao Vingador Fantasma, que tentava o impedir por meio de conversa, sua arma definitiva contra os super-heróis: os Cães de Guerra, lançado-os na Terra. Com o intuito de frustrar os planos de Darkseid e Godfrey, Sr. Destino (Kent Nelson) reúne Besouro Azul (Ted Kord), Flash (Wally West), Mutano (Garfield Logan), Lanterna Verde (Guy Gardner), Batman, Superman, Canário Negro e Capitão Marvel (Billy Batson). Quando Godfrey e seus partidários tentaram invadir o Congresso americano usando Cães de Guerra, Sr Destino eis que surge com sua equipe. Durante a batalha que se seguiu, surgem o Caçador de Marte, Mulher Maravilha e os Parademônios de Apokolips.
Entretanto, Godfrey conseguiu roubar o elmo de Nabu de Sr. Destino, desejando seu grande poder, mas quando pôs o elmo, a energia de um Senhor da Ordem o tornou insano, percorrendo sua mente e abandonando-a logo em seguida, levando consigo uma parcela considerável da psique de Godfrey fazendo com que todas as pessoas persuadidas por ele vissem seu próprio erro em segui-lo. Assim, a Terra estava salva e os heróis passariam a não serem vistos como ameaças.
Percebendo que o mundo precisava de heróis, Sr Destino propõe aos heróis presentes que eles se mantenham unidos. Superman e Flash decidem ficar apenas a disposição, já Mutano recusa ao convite, pois fazia parte dos Novos Titãs.
O resto do pessoal aceita, menos a Mulher Maravilha, que desaparece antes de aceitar ou rejeitar o convite. Por fim, os heróis decidem se tornar a nova Liga da Justiça, nome sugestionado pelo Besouro Azul, que percebeu que ninguém estava usando-o desde o fim da Liga Detroit.
Juntaram-se a equipe Senhor Milagre (Scott Free), sua esposa Grande Barda (Barda) e seu ajudante Oberon, a Doutora Luz (Kimiyo Hoshi) e Gladiador Dourado (Michael Jon Carter). Este último apenas em Justice League #4.
Assim, chegava às bancas americanas Justice League #1, com roteiros de Keith Giffen, diálogos de J.M DeMatteis e desenhos de Kevin Maguire. A nova revista deveria contar coma reunião dos maiores heróis da editora, porém, devido a problema editorial ocasionado ao fato de que os medalhões estavam passando por um processo de reformulação decorrente dos efeitos da Crise e querendo evitar problemas cronológicos, a presença destes no grupo foram impedidas. Apenas Batman, de todos os pesos-pesados, estava disponível.

Quase imediatamente, esta nova Liga da Justiça ganhou a atenção de um empresário oportunista chamado Maxwell Lord. Lord insinuou os negócios da Liga e, eventualmente, organizou o grupo sob sua “marca” pessoal, manipulando os fatos e se tornando “porta-voz” do grupo. Ele chegou a encenar uma conspiração terrorista no edifício das Nações Unidas, apenas para conseguir da ONU o reconhecimento da equipe como uma força de paz. Trazendo estrelas em ascensão como Gladiador Dourado e Capitão Átomo (Nathaniel Adams), Maxwell Lord expandiu as capacidades da equipe de negociação para o status internacional. Com a entrada do Soviete Supremo #7 (Vladimir Mikoyan), herói soviético e o Capitão Átomo, que prestava contas ao exército americano, a Liga acalmou as duas grandes potências da época (EUA e URSS) e se tornou um órgão internacional, com sedes espalhadas ao redor do mundo, conhecidas como Embaixadas. Com isso, o título passou a ser chamado de Justice League International a partir da edição de número 7. Enquanto isso, Capitão Marvel e o Senhor Destino deixaram a equipe na mesma sétima edição.

Desde sua estréia, a nova Liga assumiu uma postura alternativa aos heróis sombrios dos anos 1980. Suas histórias quase sempre focavam o relacionamento entre o grupo. A equipe se tornou famosa pelo seu bom humor, recurso pouco usado em HQs de super-heróis, ainda mais quando se tinha o sisudo Batman como líder. Foi neste período marcado pelas brincadeiras infames do Besouro Azul e o Gladiador Dourado que surgiram fatos lembrados até hoje, como a grande amizade justamente entre o Besouro e o Gladiador, o apelido de Fraldinha dado por Guy Gardner ao Capitão Marvel e o famigerado soco desferido por Batman, que nocauteou Guy durante uma discussão em Justice League #5. A cena do soco ficou muito famosa devido a reação dos outros personagens, como a marcante frase do Besouro Azul sobre o ocorrido: “Um soco? Um soco!”. Outra marca registrada desta fase, além da risada marcante (BWA-HA-HA-HA!), foram os traços de Kevin Maguire, que tinha o grande talento de desenhar perfeitamente expressões faciais, o que só acentuava o humor da publicação.A equipe se manteve unida durante os crossovers que passaram: Milênio (1988) e Invasão! (1988/1989). Durante Milênio, a equipe enfrentou os Caçadores Cósmicos, que haviam deixados agentes infiltrados disfarçados para impedir o surgimento dos Novos Guardiões. Nisso, é descoberto que o Soviete Supremo #7 é na verdade um Caçador Cósmico. A equipe, ao lado de Superman, Hal Jordan, Driq, Katma-Tui Arísia e G'nort, enfrentou os Caçadores em Orinda, sede dos andróides. Após a saga, Dimitri Pushkin, o Soviete Supremo #4 torna-se o novo membro da equipe.A Liga sempre estava à procura de novos membros, como foi o caso de Fogo (a brasileira Beatriz da Costa) e Gelo (Tora Olafsdotter), heroínas e grandes amigas que ofereceram seus serviços depois que seu grupo, os Guardiões Globais), perdeu o patrocínio com a ONU justamente para a Liga. As duas tornaram-se membros em Justice League International #14. Logo em seguida, o espião Fel Andar e sua esposa Sharon Parker, respectivamente Gavião Negro e Mulher Gavião, ingressaram no grupo em Justice League International #19.

Durante a saga Invasão!, a equipe teve que lidar com a invasão de nove raças alienígenas a Terra. A Aliança Alienígena era constituída pelos: Domínions, Durlanianos, Thanagarianos, Gil’Dishpans, Daxamitas, Guerreiros de Okaara, Povo da Cidadela, Psíons e Khúndios. No Pacifico Sul, a Mulher Maravilha, com a ajuda de um contingente da LJI, conseguiu sobrepujar os Khúndios. Perto dali, os membros remanescentes da Liga da Justiça infligiram pesadas perdas à frota especial alienígena. Na embaixada da LJI, a tentativa de infiltração de um batalhão de mini-soldados Khúndios, utilizando os teleportadores achados na embaixada da LJI na Austrália, foram rechaçadas por Oberon, que enviou um dispositivo no lugar dos Khúndios. Durante o evento, foi descoberto que Fel Andar era um espião Thanagariano. Confira mais sobre Invasão! AQUI.

No decorrer da série, mais novos membros surgiram: Caçador (Helena Bartinelli) em Justice League America #30, Senhor Destino (Linda Strauss) em Justice League America #31, Orion e Magtron (Justice League America #42). Não podemos se esquecer do General Glória (Joseph Jone), uma divertida paródia/homenagem ao Capitão América, sendo o único homem capaz de fazer Guy Gardner se comportar. Glória se tornou membro em Justice League America #50. Apesar de tantos membros, a formação quase nunca se consolidava, pois eles saíam da equipe com a mesma velocidade de que entraram.A série desde seu início contou com diversos momentos marcantes: A aparição dos Campeões de Angor (Wandjina, Feiticeira de Prata e Gaio), remanescentes dos Assemblers (surgidos originalmente na Fase do Satélite), que foram massacrados pelo holocausto nuclear cometido pelos Extremistas, vilões deles. Os Campeões de Angor acabaram confrontando a Liga quando vieram a Terra para acabar com todas as armas nucleares. Wandjina acaba se sacrificando para salvar o pequeno país de Biália, território que se tornou “coadjuvante” freqüente das histórias da LJI. Isto ocorreu em Justice League #2 e 3.A Liguinha (como é carinhosamente conhecida pelos fãs) também enfrentou as forças de Apokolips, Lobo e Manga Khan. Sem contar que durante este arco de histórias, devido ao golpe na cabeça, Guy Gardner se tornou uma pessoa dócil e gentil, proporcionando alguns dos melhores momentos da série. Felizmente, ele logo voltou ao normal.Em Justice League America #37-40, a equipe presenciou o retorno de Despero, que havia sido destruído pela Liga Detroit. Despero na verdade sobreviveu como matéria consciência sem forma. Sua vontade e ódio criam um novo corpo para ele pudesse atacar a Liga da Justiça mais uma vez. Um de seus primeiros alvos foi Cigana, antiga membro da Liga Detroit. O vilão matou os pais da heroína e estava prestes a matá-la quando J'onn J'onzz a salvou. Depois de derrotar J'onn, Despero estava prestes a acabar com Cigana, quanda a Liga entrou em confronto com o vilão. Furioso, o tirano destruiu completamente Gládio, que ao contrario que muitos pensavam, não havia morrido e na verdade estava em coma na UTI do quartel-general da Liga.

Despero estava prestes a matar Ted Kord quando o Caçador de Marte o premiou com Mayavanna, um dom sagrado de marcianos que chega em sua mente e proporciona uma realidade mais forte do que aquilo que consideram ser a realidade. Este dom confere ao receptor uma realidade onde eles obtêm o que eles mais querem. Despero acabam vendo si próprio matando a Liga e destruindo o mundo e, finalmente, ficando em paz. Neste arco de história, Sr. Milagre morre, mas na verdade, foi revelado, mais tarde, que não passava de um andróide dele. Despero acabaria retornando mais tarde para infernizar a vida da Liga da Justiça Europa.Despero, por fim, tornou-se um feto que foi dado por Max Lord a Manga Khan em troca dos serviços do robô L-Ron. Falando em serviços, durante este período, Kilowog, que estava sem o anel enérgetico desde o fim da Tropa na época, tornou-se mecânico da equipe.
Vale ressaltar que foi neste período que surgiram personagens bizarros e carismáticos, que são lembrados até hoje como: G’nort, o atrapalhado Lanterna Verde (confira mais sobre ele aqui), a Liga da Injustiça composta de vilões babacas. Outros personagens curiosos que surgiram neste período foram o Esquiador Escarlate e seu mestre Mr. Nebula, o Decorador de Mundos (paródias diretas ao Surfista Prateado e Galactus).

Outras Ligas

A revista da Liga se tornou tão popular neste período que abriu espaço para o surgimento, em 1989, de uma nova publicação, a Liga da Justiça Europa (LJE; La Fraternité de Justice et Liberte). Com sede na embaixada de Paris, a divisão européia contava com Flash (Wallace “Wally” West), Poderosa (Karen Starr/Kara Zor-L), Metamorfo (Rex Mason), Homem-Elástico (Ralph Dibny) e sua esposa Sue Dibny, Homem-Animal (Buddy Baker), Capitão Átomo, Supremo, Catherine Cobert e a Mulher Maravilha como membro reserva. A Liga Europa passou por muitas mudanças de formação, porém, as mais significativas foram trocar sua sede de Paris para Londres, e a entrada dos experientes Aquaman e Hal Jordan, isso já em sua fase final. Outros personagens também fizeram parte do grupo, como a Raposa Escarlate (as gêmeas Vivian e Constance d’Aramis), Gaio (Jay Abrams) e Feiticeira de Prata (Laura Cynthia Neilse). Os dois últimos, já conhecidos pelo público, que vieram de Angor.Por fim, numa das histórias mais divertidas e escachadas da Liga, Giffen mostrou a Liga da Justiça Antártida, uma equipe que durou apenas uma única edição: Justice League Annual #4. O grupo era formado por um bando que ninguém queria por perto: os medíocres e então regenerados vilões da Liga da Injustiça: Graúdo (Dufus P. Ratchett), Poderoso Bruce (Bruce), Multi-Homem (Duncan Pramble), Major Desastre (Paul Booker), Mestre das Pistas (Arthur Brown), Rei-Relógio (William Tockman) e pelos antigos inimigos e então amigos Esquiador Escarlate (Dren Keeg) e G’Nort (Gnort Esplanade G'neeshmacher).Infelizmente, a Liga da Justiça Internacional encontrou seu fim em Justice League America #60, de 1992, edição que marcava a despedida de Maguire, Giffen e DeMatteis. A partir da edição seguinte, Dan Jurgens assumiria o título e faria grandes mudanças, era o início dos amargos anos 1990 para a Liga...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Maniacos por DC Comics, poste aqui sua opnião!